segunda-feira, 12 de abril de 2010

Traumas III

Arnold Rimmer, criatura medíocre com pretensões de grandeza, culpa um único momento que considera ter definido o seu futuro, a fronteira entre uma vida destinada a feitos grandiosos (apenas na cabeça dele) e a realidade banal e cinzenta que se revelou ser: o dia do gaspacho. Tem calafrios e pesadelos com a palavra. Não ousa revelar o que se passou de tão terrível. O peso que ele carrega é esmagador. E o que foi, afinal, esse momento traumático que ele entende ter-lhe mudado a vida? A bordo da nave Red Dwarf, pela primeira e última vez, foi a um 25 de Novembro (como esquecer?) convidado pelo Capitão a comer na mesa dos oficiais. É servida a entrada: gaspacho. Com a ignorância e altivez que o caracterizam, tendo provado o prato, manda chamar o cozinheiro e exige-lhe que volte tudo para trás: isto está frio, é inadmissível! Risos. Julgava serem dirigidos ao chefe. O seu eco acompanhá-lo-ia até ao fim dos seus dias. Na morte, as últimas palavras que se lhe ouviram foram: gazpacho soup.




Alguém se dedicou a fazer uma montagem sobre este tema com cenas da série (Red Dwarf). O Rimmer está morto, daí o H na testa: é agora um holograma. As medalhas que traz ao peito correspondem a tempo de serviço: 3, 6, 9 e 12 anos na patente mais baixa.


montagem da Red Dwarf