quarta-feira, 30 de abril de 2008

Natália Correia

Há quem faça rabiscos nas margens das folhas. Natália Correia entretinha-se, enquanto deputada, a versejar nos momentos de maior tédio.



NUM DEBATE QUE SE ARRASTOU ATÉ ALTAS HORAS DA MANHÃ


Um tribuno pintado expõe em cima
Em tons róseos, azuis, cinzas e mates
(aqui não sei como encontrar a rima)
Desta casa, o delírio dos orates.

São cinco horas da manhã e arruina-
-se a Assembleia em sublimes disparates.
O diploma é supremo e subestima
A fome, a sede, o sono e até enfartes.

Musas! Como acabar este soneto?
Em sonito, talvez, que isto é brometo
E a deputada comuna, que sanfona!

Da oposição desertam as bancadas
Pelo sono vencidas, derrotadas.
Ganha a Aliança, em ser chata, a maratona.


in O Sol nas Noites e o Luar nos Dias II, Inéditos (1979-1991)




NESTA LUSA FARRONCA SEM VINTÉM


Nesta lusa farronca sem vintém,
Neste muda que muda sem mudança,
Venha o que venha, há-de lixar-se quem
Do salsifré tiver a governança.

Quis o Caldas por Freitas dar Barbosa,
Mas de Lucas o verbo metafórico
Adriano abençoa, e a raposa
Tem nas direitas direito mais histórico.

O PSD chorando o pai extinto
No Choupal crê achar líder de estalo;
Afinal só trocou pinto por pinto
E pintainho não dá cantar de galo.

Para São Bento, o Mário triunfal
Lá em Paris já encomenda os fraques;
Perde Zenha, Constâncio, etcétera e tal
Mas ganha Acácio, Simão e outros craques.

Vitalício o Cunhal manda o Vital
Das verduras purgar as loucas culpas;
Que artes de moço tão constitucional
Para afastá-lo, são boas desculpas.

Em conclusão: onde o maior partido
É o do ócio que causa inveja à lesma,
Ganhe quem ganhe, só muda de vestido
O génio de deixar tudo na mesma.


in O Bisnau, nº2 (1983, com o pseudónimo "Eufrásio Cuco")




"O ACTO SEXUAL É PARA FAZER FILHOS" — DISSE ELE


Já que o coito — diz Morgado —
Tem como fim cristalino,
Preciso e imaculado
Fazer menina ou menino;
E cada vez que o varão
Sexual petisco manduca,
Temos na procriação
Prova de que houve truca-truca.
Sendo pai só de um rebento,
Lógica é a conclusão
De que o viril instrumento
Só usou — parca ração! —
Uma vez. E se a função
Faz o orgão — diz o ditado —
Consumada essa excepção
Ficou capado o Morgado.


in Diário de Lisboa (05.04.1982)



"Tenho ainda por indicado esclarecer um equívoco em que uma dessas sátiras me envolveu. Foi dela alvo o deputado João Morgado [CDS], num repente satírico em versos que perdi, tendo de recorrer à sua divulgação pelo Diário de Lisboa para aqui os publicar. Ora, a verdade é que, estando longe de mim a ideia de dar publicidade a qualquer das sátiras em que eu me aliviava de alguns pesadumes parlamentares, um deputado da mesma bancada, deitando o olho ao escrito em que eu desabafava o meu assombro pelo paroquial zelo procriativo do deputado João Morgado, pediu-me para o ler, o que fez, após o que quis ficar com uma fotocópia. Qual não foi o meu espanto, umas horas depois, quando numa votação nominal, ao soar o nome de Morgado no hemiciclo, se ouviu um estrondo de gargalhadas. Vi logo que o deputado guloso da fotocópia me enganara produzindo o milagre faceto da multiplicação da sátira que abundantemente distribuíra por deputados e jornalistas. Manifestei-lhe o meu desagrado mas, nada a fazer. Logo no dia seguinte, o Diário de Lisboa estampava a zombaria em versos que popularizou Morgado. Da cruel divulgação que originou essa popularidade, lavo as minhas mãos."


in O Sol nas Noites e o Luar nos Dias II (1993)

terça-feira, 29 de abril de 2008

Palco vitral

Judith Schaechter - Slut of the year

Slut of the year (1998), Judith Schaechter

segunda-feira, 28 de abril de 2008

Escolha

Fernando Pessoa - António

Fernando Pessoa, António



"Tenho que escolher o que detesto — ou o sonho, que a minha inteligência odeia, ou a acção, que a minha sensibilidade repugna; ou a acção, para que não nasci, ou o sonho, para que ninguém nasceu.

Resulta que, como detesto ambos, não escolho nenhum; mas, como hei-de, em certa ocasião, ou sonhar ou agir, misturo uma coisa com outra."


in Livro do Desassossego, Bernardo Soares

Paisagens obscenas (Pornscapes II)

The spice of life - Jamie McCartney

The spice of life (fragmento), Jamie McCartney




Landschaft XX - H. R. Giger

Landschaft XX (1973), H. R. Giger

domingo, 27 de abril de 2008

Ângulos

Tara McPherson - A Friend as Viewed from 5 Angles

A friend as viewed from 5 angles, Tara McPherson

Alguém apostaria...

Ford Interceptor concept 2007 - David Burgess

Ford Interceptor concept 2007, David Burgess



Maserati Grantourismo

Maserati Grantourismo



... que estas não são fotografias, mas antes uma demonstração do que se consegue fazer com um software chamado HyperShot? É verdade que aquilo que sempre foi mais difícil criar em computador, seres vivos — especialmente pessoas —, não aparece nos exemplos, mas não deixa de ser impressionante.

sábado, 26 de abril de 2008

Portal

Spoiler Alert!
Para quem nunca tenha jogado Portal, e pretenda fazê-lo, não veja o vídeo e pare de ler!





Só agora joguei e, bem, dizer que aquele final é sublime é o mínimo. É hilariante. É... preciso jogá-lo e vê-lo (este post não lhe faz justiça, falta toda a experiência prévia do jogo).

Para quem não esteja por dentro (e não pretenda jogar, repito), o jogo parte de um conceito muito simples: um aparelho portátil que cria um portal entre dois pontos (uma espécie de buraco negro), o que permite a passagem instantânea entre os mesmos. O jogador atravessa uma série de puzzles, fazendo uso da máquina e dos neurónios, num ambiente a fazer lembrar o filme Cube, ouvindo uma voz feminina sintética que, de início, nos apresenta o cenário como uma experiência duma corporação chamada Aperture Science, com um humor fantástico no texto, e prometendo que no final haverá bolo. Conforme vamos avançando, encontramos algumas passagens para os bastidores da área de prova, em que se vêem vestígios de alguém que teria saído do guião e marcado na parede os dias ali passados, bem como "the cake is a lie!". De facto, o término da experiência é uma incineradora, da qual temos que escapar e prosseguir não se sabe para onde. A partir desse momento, a tal voz artificial começa por dizer coisas como: "não acredistaste que te queríamos matar, pois não? Ah Ah! Era uma brincadeira, volta para trás, alguém irá ter contigo para te levar bolo". No fim, deparamo-nos, sem surpresa, com uma enorme sala com uma estrutura electrónica fixa no centro: uma inteligência artificial psicótica. Não vale a pena entrar em pormenores sobre como derrotá-lo, aquilo que interessa é que, uma vez concluído o jogo, inicia-se a seguinte animação, ao melhor estilo Hal 9000 (do lado direito aparecem os nomes dos autores do jogo, no esquerdo a letra da música):




This was a triumph
I’m making a note here: huge success
It’s hard to overstate my satisfaction
Aperture Science
We do what we must because we can
For the good of all of us
Except the ones who are dead
But there’s no sense crying over every mistake
You just keep on trying 'till you run out of cake
And the science gets done and you make a neat gun
For the people who are still alive

I’m not even angry
I’m being so sincere right now
Even though you broke my heart and killed me
And tore me to pieces
And threw every piece into a fire
As they burned it hurt because
I was so happy for you
Now these points of data make a beautiful line
And we’re out of beta, we’re releasing on time
So I’m glad I got burned, think of all the things we learned
For the people who are still alive

Go ahead and leave me
I think I’d prefer to stay inside
Maybe you’ll find someone else to help you
Maybe Black Mesa
That was a joke, ha ha, fat chance
Anyway this cake is great
It’s so delicious and moist
Look at me still talking when there’s science to do
When I look out there it makes me glad I’m not you
I’ve experiments to run, there is research to be done
On the people who are still alive

And believe me I am still alive
I’m doing science and I’m still alive
I feel fantastic and I’m still alive
While you’re dying I’ll be still alive
And when you’re dead I will be still alive
Still alive
Still alive


Still alive, música e letra: Jonathan Coulton; voz: Ellen McLain

sexta-feira, 25 de abril de 2008

Problema de design

Office of Government Commerce

novo logótipo do "Office of Government Commerce" (Reino Unido)



Custou £14,000 e foi barato, pois é dois em um:



Office of Government Commerce

Palavras de um porta-voz da instituição:


“It is true that it caused a few titters among some staff when viewed on its side, but on consideration we concluded that the effect was generic to the particular combination of the letters OGC - and it is not inappropriate to an organisation that’s looking to have a firm grip on Government spend.”



Um especialista em imagem corporativa:


“They’re going to get more column inches than they could ever have expected before. If I were them, I would be pretty pleased.”



O célebre humor britânico...

Reencontro

"Um homem que o sr. K. já não via há muito tempo cumprimentou-o com estas palavras: «Você está na mesma, não se modificou nada». «Oh!» — disse o sr. K., e pôs-se muito pálido."


Reencontro, in Histórias do sr. Keuner, Bertolt Brecht

A propósito de tentáculos...

Katsushika Hokusai - O sonho da mulher do pescador ou Mergulhadora e polvos

O sonho da mulher do pescador (ou Mergulhadora e polvos) (c. 1814-1820), Katsushika Hokusai

quinta-feira, 24 de abril de 2008

Larica

Jason Levesque

Jason Levesque

quarta-feira, 23 de abril de 2008

Momento hiper-fofinho

... para contrariar alguma aspereza de posts recentes. Chamemos-lhe "expor a minha face feminina", relegando o grunho para os bastidores. Hoje.



Seapony of the Moonlight Pond - Amy Sol

Seapony of the Moonlight Pond (2007), Amy Sol




ps. Ainda assim com a visão do vestido subido. Uma pessoa tenta...

Gripe masculina

Man Stroke Woman

terça-feira, 22 de abril de 2008

Lusty Lady

The Lusty Lady - Erika Langley

The Lusty Lady, Erika Langley

Um mês a dormir no sofá

Playboy - João Abel Manta

Playboy, João Abel Manta
(in Caricaturas portuguesas dos anos de Salazar, 1976-77)




ORIGEM DO IMPÉRIO PORTUGUÊS E DO PROVINCIANISMO PORTUGUÊS


Com estas esposas, mães, primas, irmãs,
compreende-se.
Mal se viam chegando à puberdade,
estes homens tinham de fugir
e seriam sedentos de quantas outras
mulheres lhes dessem.

Os que ficavam, ou os que levavam consigo
as da família, que tinham,
eram forçados pela tradição biológica
a viver no esófago das fêmeas,
como o macho da bonelia viridis.

Que, em Portugal, até as putas são senhoras
que não fazem porcarias,
e só ao sábado fodem e em decúbito dorsal.


(1970) in Dedicácias, Jorge de Sena




O miscigenizador - António

O miscigenizador (2000), António

segunda-feira, 21 de abril de 2008

Jessica Joslin

Viola - Jessica Joslin

Viola (2004), Jessica Joslin




Cosimo - Jessica Joslin

Cosimo (2005), Jessica Joslin

Um final feliz

Superwest - Massimo Mattioli

Tendo desvendado o crime, o nosso herói, Superwest, dirige-se para casa com uma série de filmes porno em que a vítima — uma jovem brutalmente assassinada — tinha sido forçada a participar...


Superwest - Massimo Mattioli
Superwest - Massimo Mattioli
Superwest - Massimo Mattioli

Superwest: Porno Massacre (1987), Massimo Mattioli



ps. Mattioli é mais conhecido como autor de Squeak, the Mouse.

domingo, 20 de abril de 2008

Lassie

Lassie - Damien Weighill

Lassie (2007), Damien Weighill

sábado, 19 de abril de 2008

Ah, a juventude...

Young & Hungry - YoungGuns Awards 2005, Ana Bagayan
Young & Hungry - YoungGuns Awards 2005, Ana Bagayan
Young & Hungry - YoungGuns Awards 2005, Ana Bagayan

Cartazes do Festival Internacional de Publicidade YoungGuns de 2005, Ana Bagayan



Recorda-me um poema de Gottfried Benn: Bela Juventude (Schöne Jugend, 1912). Transcrevo duas traduções, uma do Vasco Graça Moura, com o nome Bela Infância, a segunda do João Barrento. Eu recortaria um verso daqui, uma palavra dali...



BELA INFÂNCIA


A boca de uma rapariga que passara muito tempo

[no canavial

estava tão roída.
Quando lhe abriram o peito, o esófago estava todo esburacado.
Finalmente, num caramanchão sob o diafragma
encontrou-se um ninho de ratinhos.
Um dos irmãozinhos estava morto.
Os outros tinham vivido do fígado e dos rins,
bebido o sangue frio e passado
aqui uma bela infância.
Mas depressa tiveram também uma bela morte:
Deitaram-nos todos à água.
Ah, como os pequenos focinhos chiavam!




BELA JUVENTUDE


A boca de uma rapariga que tinha jazido muito tempo

[entre canaviais

estava toda roída.
Quando lhe abriram o peito, o esófago estava todo esburacado.
Finalmente, num recanto sob o diafragma,
encontraram um ninho de jovens ratazanas.
Um dos irmãozinhos da ninhada estava morto.
Os outros viviam de fígado e de rins,
bebiam o sangue frio, e aqui
tinham passado uma bela juventude.
Bela e rápida foi também a sua morte:
Lançaram-nos todos à água.
Ah, como chiavam os pequenos focinhos!










Felicidade

Happiness is submission to Godzilla

autor desconhecido

sexta-feira, 18 de abril de 2008

Guernica II

Guernica - Quino
Guernica - Quino

Quino

Porco-aranha

música: Hans Zimmer (The Simpsons Movie); vídeo: anónimo



anúncio a uma Super-Cola (GlueTube)

quinta-feira, 17 de abril de 2008

Curiosidades artísticas

Al don verdulero - Lisandro Demarchi

Al don verdulero, Lisandro Demarchi




Las aventuras de Poseidón - Lisandro Demarchi

Las aventuras de Poseidón, Lisandro Demarchi

quarta-feira, 16 de abril de 2008

O fim da Família e da Moral

No Iémen foi concedido o divórcio a uma rapariga de 8 anos. Onde é que isto vai parar...

2 (dois) meses de prisão

Estes juízes metem nojo.


Desculpem o desabafo... Já retornam as chalaças, curiosidades artísticas e afins.

Guernica

Grade School Guernica - Ron English

Grade School Guernica, Ron English



Cowgirl Guernica - Ron English

Cowgirl Guernica, Ron English



Guernica Trilogy 1 - Ron EnglishGuernica Trilogy 2 - Ron EnglishGuernica Trilogy 3 - Ron English

Guernica Trilogy, Ron English


O original.

Até aqui, tudo bem...


La Haine (1995), Mathieu Kassovitz



«É a história de um homem que cai de um prédio de 50 andares. Enquanto cai, repete sem cessar para se tranquilizar:

"Até aqui, tudo bem..."
"Até aqui, tudo bem..."
"Até aqui, tudo bem..."

Mas o importante não é a queda. É a aterragem.»

terça-feira, 15 de abril de 2008

Ursos

Lotte KlaverLotte Klaver

Lotte Klaver

Lotte Klaver

segunda-feira, 14 de abril de 2008

Génio



Lost in translation


anúncio japonês ao software StarSuite 7

Galeria (tori torikaeru, tori tori...)

Benise - Michaël David André

Benise, Michaël David André



Shanael - Michaël David André

Shanael, Michaël David André

domingo, 13 de abril de 2008

Tori, Torikaeru

anúncio japonês de uma sanita computorizada



"Chicken is «tori» and frog is «kaeru». Put them together and it's «torikaeru» which means «convert» (pointing out the way the toilet seat can be easily converted)."

anónimo



À conta disto andei a cantarolar "tori, torikaeru" o dia todo.

Infância

Front Face, Two - Shawn Barber

Front Face, Two (2005), Shawn Barber



Triple Skullhead - Shawn Barber

Triple Skullhead (2007), Shawn Barber

sábado, 12 de abril de 2008

Vídeos

She is the new thing (2007), The Horrors + Corin Hardy (realizador)



Cracker (2001), Ohgr + William Morrison (realizador)

No topo da pirâmide

How to make love to a woman (1995), Bill Plympton

sexta-feira, 11 de abril de 2008

Receita

arte - Quino

Quino



Pequena lista de conselhos para aspirantes a artistas, segundo Leslie Barany:


"Dear Aspiring Artist, Here is my advice. Think of it as a five-year plan:

  1. Take whatever courses you find the most interesting.
  2. Study closely the work of the Old Masters.
  3. Stop making art that originates only from your own imagination.
  4. Stay with one technique until you perfect it.
  5. On any given day, always be in the middle of reading a book. When you finish one, start the next. Fiction, nonfiction, biographies, autobiographies, history, science, psychology, or how to build a kite. Anything but go easy on the comic books.
  6. Buy and read the first 6 pages of newspaper every day and also the editorial commentaries. Skip the entertainment section. Su Doku is fine. Do the crossword puzzle.
  7. Fill up a sketchbook every month with pen or pencil drawings of the world around you, not from your imagination.
  8. Buy a book on figure drawing. It's the only art book you will ever need.
  9. Until you can draw an accurate portrait of someone, you don’t know how to draw.
  10. Stay away from the airbrush. You'll never master it, hardly anyone ever has.
  11. Visit every museum in your city. Often, until you have seen everything in it. Every kind of museum. Not only the art museums but, of course, those as well.
  12. Forget about contemporary art by living artists, at least for the next few years.
  13. Stay away from most art galleries. Go to art auctions. That's where the real action is.
  14. Learn to play chess.
  15. Take a business course.
  16. Talk to you mother or father at least once a week.
  17. Stop going to the movies until you have rented and seen every film on this list.
  18. Do not watch television unless it’s the news or documentaries.
  19. Do not use an Ipod.
  20. No video games, either.
  21. Learn a foreign language.
  22. Learn to cook.
  23. Spend 8 hours in a hospital emergency room.
  24. Save up money so you can travel to a foreign country within the next five years.
  25. Do not litter.
  26. Avoid politically correct people.
  27. Vote in every election or never dare to utter a political opinion. You are not entitled to one.
  28. Buy a digital camera and take photos every day. If you see nothing interesting to photograph, you will never be a good artist. Keep only one photo of every ten you take. Delete the rest. It will force you to learn how to edit the garbage from your life, to make choices, to recognize what has real value and what is superficial.
  29. Visit an old age home.
  30. Listen to classical music and jazz. If you are unable to appreciate it at least as much as contemporary music, you lack the sensitivity to develop into an artist of any real depth.
  31. Go to the ballet. Classical or Modern, it doesn't matter. It will teach you to appreciate physical grace and the relationship between sound and movement.
  32. Wake up every morning no later than 8 AM, regardless of what time you went to sleep.
  33. Learn to play a musical instrument.
  34. Learn to swim.
  35. Keep your word.
  36. Never explain your art. People who ask you to do so are idiots.
  37. Never explain yourself. Better yet, never do anything that will, later, require you to explain yourself or to say you're sorry.
  38. Always use spell check.
  39. Stop aspiring and start doing.

This will keep you very busy but it can't be helped.
In my opinion, this is how you might, possibly, have a shot at becoming a good artist.

Hope this helps,
Les Barany"

quinta-feira, 10 de abril de 2008

Mr. Slave

Ainda a propósito da aluna e da professora que lutaram pelo telemóvel, gostaria de chamar a atenção para uma solução que me parece interessante, podendo vir a ser aplicada em Portugal: já que não se podem espancar alunos, faça-se uso de um voluntário. Aqui fica:



South Park, Trey Parker + Matt Stone

Palco

Cycle - Ruth Gwily
Cycle - Ruth Gwily
Cycle - Ruth Gwily

Cycle, Ruth Gwily

quarta-feira, 9 de abril de 2008

Maruo

Suehiro Maruo

Suehiro Maruo

Belleville

Les triplettes de Belleville - Sylvain Chomet

Les triplettes de Belleville (2003), Sylvain Chomet





Les triplettes de Belleville (2003), M

terça-feira, 8 de abril de 2008

O dilema

Alexei Sayle

"It was eight in the morning, the train was not due to depart until nine-thirty, so I was one of the first on board. Unfortunately I was not the very first. When planning this journey I had taken special care to book a double-berthed sleeping compartment all to myself by buying two tickets (I shout certain things about the Pope in my sleep and it can cause offense and embarrassment) so I was well pissed off to find a pasty-faced teenager sitting bolt upright on one of my two bunks. Life is a minefield for the committed Marxist. I was immediately faced with one of those dilemmas which confront those who try and live their life right and ethical i.e. — should I eject the youth on the grounds that I needed sole use of the compartment, just in case I happened, in my solitude, to think up a totally new strategy for the annihilation of monopoly capitalism? Or should I let an obviously needy proletarian fellow-traveller enjoy a little bit of luxury even if he hadn't paid good hard-earned fucking money for it? In the end I decided to let him be for the present, but if he started telling me about his racing pigeons I'd write an anonymous note to the ticket inspector and have him thrown out. The lad in question said nothing but stared straight ahead. 'Three kopeks short of a rouble,' I thought."


Train to hell (1984), Alexei Sayle



"Three kopeks short of a rouble" equivale a dizer "não joga com o baralho todo". Aqui encontra-se uma lista de alternativas. Alguns exemplos:

  • It's hard to believe he beat 100,000 other sperm.
  • If you stand close enough to him, you can hear the ocean.
  • He's not a complete idiot -- some parts are missing.

Pornscapes

Pornscape #44 - Pierre RadisicPornscape #43 - Pierre Radisic

Pornscapes #43 e #44 (1999-2005), Pierre Radisic


Pornscapes - SexTv #9 (Toronto, 2007)