terça-feira, 18 de novembro de 2008

Batas e supremacia branca

Carl de Keyzer

Carl de Keyzer (1991!)












Sentia falta de lunáticos de bata. Já há 5 meses que não apareciam, uma eternidade.
Como curiosidade, a letra é um poema de Ricarda Huch. Desconfio que o facho que a canta desconheça a postura da senhora contra o partido Nazi. Ou então está-se nas tintas.


ps. Será que há um alfaiate que encontrou no Klan um nicho de mercado ou serão os próprios a preparar as fatiotas? Tenho ideia de ter visto uma reportagem com um velhote que fazia a bata do papa... ou eram os sapatos, já não me lembro. Talvez haja igualmente o equivalente para o KKK... se não houver, está aqui uma oportunidade para algum empresário lesto. É só uma ideia.