segunda-feira, 30 de abril de 2007

Paisagem urbana

Woman in window looking down air shaft - André Kertész [clique para ampliar]

Woman in window looking down air shaft (1970), André Kertész

sábado, 28 de abril de 2007

Crepúsculos

Dawn - Odd Nerdrum [clique para ampliar]

Dawn (1990), Odd Nerdrum



I

Vi-me num sonho de folhas caindo,
De lagos escuros num bosque perdido,
De tristes palavras ecoando —
Mas não sabia entender-lhes o sentido.

Vi-me num sonho de estrelas caindo,
De preces chorosas num olhar ferido,
De um sorriso que vinha ecoando —
Mas não sabia entender-lhe o sentido.

Como estrela caindo, folha tombando,
Assim me via num vai-vem perdido,
Eternamente esse sonho ecoando —
Mas não sabia entender-lhe o sentido.


Três sonhos (Drei Träume, c. 1909), Georg Trakl (trad. de João Barrento)



The singers - Odd Nerdrum [clique para ampliar]

The singers (1988), Odd Nerdrum

quinta-feira, 26 de abril de 2007

O abismo

I603 - Fabien de Cugnac [clique para ampliar]

I603 (2003), Fabien de Cugnac

terça-feira, 24 de abril de 2007

Camuflagem

Duet-cloud - Kim Joon [clique para ampliar]

Duet-cloud (2006), Kim Joon

segunda-feira, 23 de abril de 2007

O abismo

John Severin [clique para ampliar]

John Severin



Dave McKean [clique para ampliar]

Dave McKean



Sergio Aragonés [clique para ampliar]

Sergio Aragonés



Nos Estados Unidos, um frequentador de feiras de BD lembrou-se de pedir aos artistas convidados que lhe desenhassem alguém à beira de um penhasco (ou algo semelhante). Chama-se Walt Parrish, mas é conhecido como the cliff guy.
Entendê-lo como metáfora da vida nada tem de original, mas não deixa de ser apropriado (embora não me pareça que fosse essa a intenção). Nestes três desenhos, três versões possíveis:

  • há aqueles que se sustêm, despreocupados, sobre o abismo (com o auxílio de "suplementos", ou não);
  • os que conseguem manter um equilíbrio precário, mas suficiente;
  • os a quem falta o chão sob os pés (a não ser que se entenda o cão — Rufferto — como o actor principal).

Parece-me que estas são as que me estão mais próximas, mas no site dele encontramos outras variantes menos prováveis como "o que se detém, de pés bem assentes, com olhar desafiante" ou "aquele que heroicamente salva outrém da queda fatal", etc.
Sendo nos EUA, a maioria dos artistas e dos desenhos estão relacionados com o universo dos super-heróis, lamentavelmente.

sábado, 21 de abril de 2007

Irmandade

O cidadão João Gonçalves declara-se salazarista. Não um qualquer, caracteriza o seu salazarismo como "puramente intelectual e desacompanhado do autoritarismo e da mesquinhez característicos do construído à sua volta"(sic). Também eu, outrora, cheguei a temer que o meu estalinismo de índole cultural, desprovido do homicídio em massa construído à sua volta, pudesse afectar a seriedade dos meus argumentos.

O Limbo e a Tusa (reflexões)

Aqui há uns tempos escrevi que as razões que levam ateus a discutir Deus têm menos a ver com "Ele" do que com os que "Nele" crêem. Outra das razões é por conseguir ser bastante divertido.


"Num documento publicado hoje, a Comissão Teológica Internacional, que depende da Congregação para a Doutrina da Fé, declara-se convencida de que existem «sérias razões teológicas para crer que as crianças não baptizadas que morrem se salvarão e desfrutarão da visão de Deus»."


Igreja Católica elimina o limbo para crianças que morrem por baptizar, Público (20.04.2007)



Numa acção semelhante, espera-se para breve uma clarificação, por parte de uma comissão de sábios muçulmanos, sobre a validade da afirmação de Al-Suyuti de que, no paraíso, o pénis do crente se encontra eternamente erecto. A confirmar-se, embora não sendo absolutamente impeditivo, o ansiado confronto com o criador tornar-se-ia inevitavelmente embaraçoso. Ou estará o Dele também entesado? E importará o tamanho? Tudo temas a tratar por quem de direito.

sexta-feira, 20 de abril de 2007

Interregno

Santa drinking coffee - Jim Steinhardt [clique para ampliar]

Santa drinking coffee (1950), Jim Steinhardt



À freguesa que se queixou do recente desleixo neste estaminé:
é de borla, podia ser pior.

quarta-feira, 18 de abril de 2007

El Borbah

El Borbah - Charles Burns

El Borbah, Charles Burns



Vai faltando o reconhecimento público devido a heróis como este. Borbah é um detective privado que se veste de wrestler mexicano (com o pormenor do fato com uma única alça) e que luta enquanto nos informa, e aos vilões, da correcta designação do movimento que executa (e.g., a "Tenaz Dupla").
A imagem da capa ainda tem como bónus uma (espécie de) Bettie Page gigante e verde... uma pérola.

terça-feira, 17 de abril de 2007

Mudar

Tran Ba Vang [clique para ampliar]

s\t #8 (2001), Nicole Tran Ba Vang


... para que (quase) tudo fique na mesma.
E, se ficar, já não é mau.

sábado, 14 de abril de 2007

Interstício (ou "God is in the details")

red blue golden - Olaf Martens [clique para ampliar]

s\t (red blue golden) (2003), Olaf Martens

quinta-feira, 12 de abril de 2007

Qualidade de vida

Qualität des Lebens - Laibach

fotograma do vídeo de "Tanz mit Laibach", dos Laibach



Deer - Sam Weber [clique para ampliar]

Deer, Sam Weber



Ao cuidado do primeiro-ministro,
Esqueça o plano tecnológico, o simplex e o curso de Engenharia Sanitária. É esta a verdadeira lição finlandesa (que os eslovenos, como os Laibach, já entenderam):
veados e renas = qualidade de vida.
Simples.

Aqui há uns anos, o ministério da educação decidiu importar o modelo arquitectónico de escolas escandinavas (não me recordo de que país). Terão pensado que não havia necessidade de determinar os problemas e projectar soluções... corte e cola bastaria. Levou algum tempo, após a construção das escolas, até alguém perceber que determinadas estruturas — que ninguém sabia para que poderiam servir — eram usadas para guardar os esquis. E que jeito devem dar ainda hoje.

terça-feira, 10 de abril de 2007

A 5ª dimensão

Ballerina - Bob Carey

Ballerina (West Street) (2003), Bob Carey



Portugal, Abril de 2007 (via Blasfémias),

  1. Jornal publica informação que afecta pessoa colectiva.
  2. Pessoa colectiva processa jornal por difamação.
  3. Tribunal confirma a veracidade da informação publicada.
  4. Tribunal condena jornal por difamação, considerando a veracidade do que é afirmado irrelevante.

Com este e outros casos, fica a ideia de que os juízes portugueses vivem numa espécie de realidade alternativa — um universo paralelo onde as leis e os princípios que o regem, embora semelhantes aos que conhecemos, não chegam a ser exactamente os mesmos que dominam o resto da humanidade.

segunda-feira, 9 de abril de 2007

Um lema...

"Não me lixem. Não me chatem" [sic]

Luíz Pacheco em entrevista ao Correio da Manhã (08.04.2007)



Via Almocreve das Petas

domingo, 8 de abril de 2007

Tempos de trevas

Waiting for the fruits - Dariusz Klimczak [clique para ampliar]

Waiting for the fruits, Dariusz Klimczak



"Numa tentativa de identificar as causas das actuais dificuldades em acreditar na ressurreição de Cristo, o cardeal-patriarca de Lisboa referiu que uma delas será a banalização da morte no seu aspecto de fim de vida.

(...)

«Mata-se facilmente, põe-se, imprudentemente, a própria vida em perigo, a morte tornou-se um fenómeno clínico, a própria dor da morte se dilui em cerimónias fúnebres mais marcadas pelos hábitos culturais do que pela vivência da densidade da vida», disse também cardeal-patriarca de Lisboa".


"D. José Policarpo: banalização da morte dificulta fé na ressurreição de Cristo", Público (08.04.2007)



"Uma [das causas da descrença na ressurreição] será a banalização da morte no seu aspecto de fim de vida"? Ou seja, desacreditar a ressurreição dificulta a crença na ressurreição...

Quanto às palavras de D. Policarpo, dificilmente, numa época em que, graças à ciência, a qualidade e a esperança média de vida continuam a aumentar, se pode ter outra visão da morte que não a de "fenómeno clínico". E digo "dificilmente" porque a fé implica dificuldade (a suspensão da razão). Não sendo crente, custa-me entender o que leva a inteligência a entregar-se ao desejo, ao ponto de se permitir reescrever o que os sentidos dizem, criando ilhas de excepções em que a lógica e a razão não entram (ou só o fazem submissas).

Dito isto, enquanto benfiquista tudo é mais claro e faz sentido.

Arroja vs. Amorim

The wrestling epilogue - Monty Python

The wrestling epilogue, Monty Python



Está a decorrer um interessante confronto no Blasfémias, em que se procura determinar qual a classe profissional que mais contribuiu para o lamaçal em que o país se encontra. Pedro Arroja — economista, empresário e salazarista —, no canto azul, à esquerda, tomou a iniciativa de propor os "juristas" (em sentido lato, os que frequentaram um curso de direito), e luta com enorme perseverança pela sua posição. Carlos Abreu Amorim — jurista, docente universitário e comentador televisivo nas horas vagas —, no canto vermelho, à direita, contrapôs com os "economistas", privilegiando o contra-ataque incisivo em detrimento de uma estratégia de desgaste, como a assumida pelo seu opositor (quem disse que o "futebolês" não serve para nada?). A não perder.

sábado, 7 de abril de 2007

Parto (something smells fishy here)

Michiko Kimura

s\t, Michiko Kimura

sexta-feira, 6 de abril de 2007

Controlo da qualidade (ou "A ASAE no terreno")

Mouth - Karl Persson [clique para ampliar]

Mouth, Karl Persson

quinta-feira, 5 de abril de 2007

Evildoers

As Mães
(essas cabras)



HIV - Jung von Matt [clique para ampliar]

"O queixo do avô, os olhos do papá, HIV da mamã"




HIV - Jung von Matt [clique para ampliar]

"O leite materno faz com que bebés morram"




HIV - Jung von Matt [clique para ampliar]

"Tal como a mamã, HIV positivo"



Todas as imagens pertencem a uma campanha recente de sensibilização para a SIDA, e foram executadas pela agência Jung von Matt.

quarta-feira, 4 de abril de 2007

Sorriso enigmático

Lui Liu

s\t (pormenor), Lui Liu

terça-feira, 3 de abril de 2007

Demasiado tempo livre nas mãos

bandeira do Irão

bandeira do Irão



É curioso como se assemelha a uma vulva...


bandeira do Irão (pormenor)

Guerra cultural

300 - Frank Miller / Zack Snyder

Entretanto, e com algum atraso na informação (só vi o filme agora), parece que 300 (de Zack Snyder, a partir da bd de Frank Miller) causou alguma irritação no Irão por conter "imprecisões históricas", e por se tratar, alegadamente, de um "comportamento hostil, que é o resultado de uma guerra cultural e psicológica". O que seria algo como surgir a comunidade de anões, ou melhor, daqueles "vertically challenged" (os americanos têm um modo sublime de serem politicamente correctos), a verbalizar a sua indignação, perante a abjecta mentira de que as mulheres anãs possuem barba, conforme se afirma em O Senhor dos Anéis. Dir-se-á que 300, ao contrário de O Senhor dos Anéis, é baseado em eventos verídicos, e, como tal, passível de ser entendido como uma manipulação grosseira desses mesmos eventos... como se de um filme de Hollywood se tratasse. E, por enorme coincidência, é exactamente disso que se trata. Mas não há que ironizar com as reacções oficial e popular, em países exóticos, a temas que consideramos irrelevantes. Afinal, não foi assim há tantos anos que vimos a RTP censurar um programa humorístico por, aos olhos dos responsáveis, desrespeitar figuras históricas lusas.

segunda-feira, 2 de abril de 2007

Hidrografia

(ou "Espaços onde se pode respirar").



Nu de la mer - Lucien Clergue [clique para ampliar]

Nu de la mer (1965), Lucien Clergue

domingo, 1 de abril de 2007

Evildoers (momento "hoje o mar está flat")

Ash - Alien

Ash

Alien (1979), Ridley Scott