quarta-feira, 6 de dezembro de 2006

Intimidade

perinium

"Porque é que a intimidade do corpo nos chega sempre pelos buracos que temos na carne e na pele pelos buracos formados em mucosas que comodamente se centram nos encaixes dos ossos porque é que a intimidade do corpo germina sempre pelos mesmos sitios pelos mesmos orifícios por onde a realidade exterior nos entra pelo corpo adentro porque é que o corpo nos sai para fora exactamente por esses mesmos buracos em impetuosa atracção pela realidade de onde se calhar vem porque é que às vezes a intimidade do corpo nos faz esquecer a nossa própria intimidade, a que temos connosco, mas que de tão coalhada lá no fundo das nossas vísceras mentais acaba por nos azedar o hálito com que saudamos cada dia?
O que é que a nossa intimidade nos diz de nós próprios?"


in Bizarro Dizário, Paulo Condessa